Membros do Conselho Estadual do Cooperativismo de Minas Gerais tomam posse
Cecoop retoma às atividades após seis anos sem atuação no Estado
Publicado: 21/02/2020 16:27
Foto: Matheus Fonseca / Sede Foto: Matheus Fonseca / Sede

Os membros do Conselho Estadual do Cooperativismo (Cecoop) tomaram posse na tarde de ontem (21/02), durante a primeira reunião ordinária de 2020, na sede da Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais (Ocemg), em Belo Horizonte. Subordinado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), o Conselho tem como principal objetivo formular as políticas públicas a serem adotadas pelo Estado para o desenvolvimento das cooperativas.

De acordo com a Lei 15.075/2004, que dispõe sobre a Política Estadual de Apoio ao Cooperativismo, o Cecoop define as políticas públicas a serem adotadas pelo Estado para o desenvolvimento das cooperativas. Ele tem por competência coordenar as políticas de apoio ao cooperativismo; acompanhar a elaboração da proposta orçamentária do Estado para o setor; e celebrar convênio com entidade pública ou privada para a execução de projetos de apoio ao desenvolvimento do sistema cooperativista, dentre outras funções.

Para o presidente do Conselho Estadual do Cooperativismo, Douglas Augusto de Oliveira Cabido, as diretrizes da Secretaria de Desenvolvimento Econômico estão em consonância com a Política Estadual de Apoio ao Cooperativismo, o que vai facilitar a atuação do Conselho. “Nossa meta, diante dos eixos estratégicos do Governo focado na parte de atração de investimento, é mostrar a importância das cooperativas no segmento”, afirma Cabido, revelando que as cooperativas giram em torno de R$ 55 bilhões ano no estado.

Além do presidente Douglas Cabido, cerca de 20 pessoas compõem o Cecoop, sendo elas: representantes de secretarias de Estado, órgãos públicos e diversos ramos do cooperativismo. Juntos, vão deliberar com as diretrizes tratarão para o cooperativismo. Além evidenciar as grandes cooperativas, que para a economia do Estado é muito significativa, Douglas explica que o Minas Livre para Crescer, programa da Sede, que é um segmento transversal, entra para facilitar ainda mais o ambiente econômico de negócios para o setor, que possuem diversas regulamentações que podem ser revistas.