Estado facilita parceria entre supermercadistas e pequenos produtores
Conexões feitas pelo Circuito Mineiro de Oportunidades e Negócios estão ajudando produção
Publicado: 07/05/2020 09:43 | Atualizado: 07/05/2020 10:18
Foto: Divulgação / Tiago Silva Foto: Divulgação / Tiago Silva

Em meio à crise pandêmica, pequenos produtores da Zona da Mata de Minas Gerais estão mantendo as vendas de polpas de frutas. Houve redução? Sim. Mas o que está salvando a produção é a parceria que eles fizeram com uma grande rede de supermercados, por intermédio do Circuito Mineiro de Oportunidades e Negócios (CMON) – Programa da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), em parceria com a Associação Mineira de Supermercado (Amis).

A afirmativa é do produtor de maracujá Tiago Silva, que tem seu negócio na cidade de Cataguases. Ele é um dos 100 produtores que compõem a Cooperativa Central dos Agricultores Familiares do Noroeste Mineiro Alfa. A cooperativa, por meio do Circuito Mineiro, fechou parceria com a rede de supermercados de 15 e 50 toneladas de polpas de manga e maracujá, respectivamente. “Apesar da crise, o cliente manteve o compromisso deste ano e já encomendou a safra do ano que vem”, afirma Tiago, explicando que, se não fosse a parceria, estariam perdendo fruta no campo.

Facilitador desse contrato, o Circuito Mineiro de Oportunidades e Negócios tem como pilar e principal objetivo apoiar os pequenos produtores ao aproximá-los de empresas âncoras e setores estratégicos da economia mineira para a realização de novos negócios, contribuindo, assim, para o fortalecimento dos pequenos empreendedores e do desenvolvimento econômico de Minas Gerais. O programa é voltado para microempreendedores individuais (MEI), microempresas, empresas de pequeno porte, cooperativas e agricultores familiares.

Para o subsecretário de Desenvolvimento Regional da Sede, Douglas Cabido, o Circuito tem um fator importantíssimo neste momento. “Ele já é por si só um importante projeto da Sede, que faz parcerias com diversos setores, mas, especificamente no caso dos supermercados, inseririndo novos produtos e novos empreendedores, em rede já consolidadas”, afirma Douglas, garantindo que neste momento de crise de Covid-19, um dos setores que permaneceram pujantes, inclusive contratando, foi o setor supermercadista. “Então, mostra-se ainda mais importante essa situação de apoio para que os pequenos empreendedores possam, efetivamente, gerar negócios e diminuir as taxas de desemprego e de quebra de empresa, por exemplo”, explica.

Em parceria com a Amis, os pequenos negócios recebem orientação qualificada em técnicas de vendas e potencialização de negócios, apresentação de produtos para compradores e rodadas de negócios, com empresas âncoras e setores estratégicos da economia mineira. Somente em 2019, foram realizadas 10 edições do programa, distribuídas nas cidades de Divinópolis, Ipatinga, Uberlândia, Pouso Alegre, Montes Claros, Teófilo Otoni, Juiz de Fora, Belo Horizonte e Araçuaí. Ao todo, foram capacitadas 539 pessoas e 272 empresas e 138 empresas foram selecionadas para as principais feiras regionais.

Simone Guedes, gerente de Desenvolvimento Profissional da Associação Mineira de Supermercados (Amis), garante que, neste momento, é importante trabalhar a união, a criação de certificações, a melhoria nos processos de venda e escala para atender o varejo alimentício. Para a gerente, as conexões geradas pelo Circuito vêm mostrar sua importância por ter sido uma fase de desenvolvimento, aprimoramento de qualidade e embalagem e, principalmente, de apresentação e negociação desses produtos junto ao varejo supermercadista. “Portanto, agora é hora de colher bons frutos do trabalho desenvolvido por esse projeto e de buscar alternativas para sua continuidade”, afirma Simone Guedes.

Os resultados do CMON impressionam. Dos participantes, 40% aumentaram a produção em até 20% para atender nova demanda; 26,7% contrataram novos colaboradores para seus negócios; 46,7% fecharam negócios no Circuito Mineiro de Oportunidades e Negócios; 75% receberam algum tipo de retorno da negociação; 53% fizeram melhorias nos seus produtos.

E as parcerias vão além. Na feira Superminas, a maior do segmento da América Latina, 42% fecharam mais de um negócio e 29%, até janeiro de 2020, estavam com negociações em andamento; 53,3% melhoraram a divulgação de seus produtos via redes sociais e sites; e 84% avaliaram o Workshop de Boas Práticas de vendas como aprendizado aplicável ao negócio. Com o sucesso de 2019, o Circuito foi repensado, de forma a ampliar a ação para outros setores, além do supermercadista.

Em negociação

Também por meio do Circuito Mineiro de Oportunidades e Negócios, a empresária Priscila Piazi está em negociação com a mesma rede de supermercados que a cooperativa que Tiago participa fechou negócio. Ela é produtora de kombucha – bebida milenar que utiliza cultura de bactérias e leveduras para fermentação do chá saborizado – e busca ampliar sua produção com a concretização da parceria.

Instalada na região da Zona da Mata, a pequena empresa de kombucha, atualmente, fornece seus produtos para empórios e lojas de artigos naturais. “Por indicação do Sebrae de Juiz de Fora, procuramos o Circuito Mineiro, que nos aproximou da rede de supermercados de BH, que sempre foi nosso foco de venda”, afirma Priscila.

Neste período de isolamento, a empresa resolveu inovar e apostar na novidade para conquistar o novo cliente. “Criamos uma embalagem de 200 ml para colocar nosso chá, que atualmente é vendido em uma garrafa de vidro de 350 ml”, afirma Priscila, garantindo que a nova embalagem, além de praticidade, oferece a quantidade necessária ao cliente. “Logo mais, enviaremos o novo produto para retornar as negociações”, garante.