Idene ouve lideranças regionais para consolidação do Plano de Desenvolvimento Integrado
Nesta quinta-feira (18/6) foram mais duas reuniões totalizando seis em apenas uma semana; a participação das regiões é considerada fundamental
Publicado: 19/06/2020 17:12 | Atualizado: 19/06/2020 17:17
Foto: Divulgação / Idene MG Foto: Divulgação / Idene MG

O diretor-geral do Idene, Nilson Borges, está ouvindo lideranças para dar sequência à elaboração do Plano de Desenvolvimento Integrado da Região do Idene, solicitado pelo governador Romeu Zema há quase três semanas. Borges tem promovido reuniões virtuais regionalizadas com lideranças da sociedade civil organizada, empresariais e políticas.

O Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais integra 258 municípios dessas duas regiões e também alguns municípios do Vale do Rio Doce. Uma parcela significativa enfrenta problemas com segurança hídrica e baixo crescimento econômico.

O Idene tem atuado na perfuração de poços artesianos, na instalação de cisternas, doação de tubos e caixas metálicas de 20 mil litros. “A água é o bem mais importante da vida e ela precisa chegar a todos, principalmente nesse momento de pandemia, quando a higienização precisa ser redobrada”, afirma o diretor-geral do Idene.

Segundo Borges, a responsabilidade do Idene passa pela continuidade dos projetos e programas em execução, mas também passa por novos desafios de fazer a região alcançar novos patamares de crescimento. “Temos muitas informações de estudos para o plano, inclusive da Fundação João Pinheiro, e agora, estamos buscando a realidade atual, os gargalos que impedem o desenvolvimento e o fortalecimento de cadeias produtivas”, ressalta o diretor-geral.

A receptividade ao Idene nessa discussão do plano tem sido considerada excelente, pois todas as lideranças regionais e cidadãos sonham com mais emprego e renda, educação, saúde, infraestrutura e logística, que vão se traduzir na melhoria do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

Na próxima semana estão previstas novas reuniões para que todas as regiões possam ser ouvidas e apresentem um retrato fiel das suas realidades socioeconômicas para agregar ao Plano de Desenvolvimento Integrado.