Minas Gerais atrai empresas globais do segmento de bebidas
Companhias internacionais possuem centros de distribuição em implantação ou operação no estado
Publicado: 01/07/2020 13:41 | Atualizado: 09/07/2020 10:16
Foto: Diageo/Pouso Alegre/Divulgação Foto: Diageo/Pouso Alegre/Divulgação

A logística privilegiada e um tratamento tributário competitivo favorecem a escolha de grandes empresas por Minas Gerais. No segmento de bebidas destiladas, por exemplo, o estado tem se destacado na atração de investimentos. Se somadas, as companhias do setor presentes em Minas devem faturar cerca de R$ 2,6 bilhões e gerar aproximadamente R$ 78 milhões aos cofres públicos com arrecadação do ICMS.

Distribuidoras

Ao longo dos últimos três anos, o Governo de Minas, por meio do Indi – Agência de Promoção de Investimentos do Estado de Minas Gerais, assinou protocolos de intenções com as empresas Campari, Beam Suntory, Pernod Ricard, Diageo e Bacardi, sendo as três últimas as maiores distribuidoras do mundo. Juntas, elas são responsáveis, por exemplo, pela comercialização de bebidas como Absolut, Aperol, Smirnoff, Martini e Jim Beam.
Quatro dessas distribuidoras estão instaladas no município de Extrema, e outra em Pouso Alegre.

A escolha pelas cidades do Sul de Minas é estratégica. O posicionamento geográfico leva Minas a ser reconhecido como estado logístico do Brasil. Isto porque, em um raio de 800 quilômetros, a área concentra 40% da população brasileira e representa 51% do PIB nacional. Além disso, o acesso facilitado a 50% do mercado consumidor brasileiro e malha logística com fácil escoamento deixam a região ainda mais competitiva.

Estímulo

Para dar maior incentivo e estímulo ao setor produtivo e comercial, Minas Gerais adotou políticas de benefícios fiscais atrativos para o setor. Como resultado, o estado atualmente concentra os maiores distribuidores de bebidas destiladas do país. 

Benefícios como esses estão entre os motivos para a instalação da Beam Suntory, considerada uma das maiores empresas de destilados no mundo, sendo a segunda maior nos Estados Unidos e líder no Japão. Em 2019, a organização decidiu investir no projeto de importação e distribuição de suas marcas no Brasil.

“As questões de carga tributária efetiva e logística do estado foram as principais motivadoras para este movimento, já que buscamos a otimização dos nossos resultados no Brasil. Consequentemente, quanto maior espaço para investimento, maior expansão e crescimento”, explica o gerente tributário da empresa, Alexsandro Chaves.

A analista de Promoção de Investimentos do Indi, Larissa Batista, destaca que, assim como a Beam Suntory, as grandes distribuidoras de bebidas premium estão desenvolvendo novas estratégias de operação, priorizando a eficiência e redução de custos de Minas Gerais.

“O ambiente de negócios no estado é eficiente e produtivo, apoiamos o desenvolvimento de novos projetos, além de oferecer tratamentos tributários setoriais atrativos, fatores que agregam valor aos nossos diferenciais competitivos”, explica Larissa, que aponta o estado, atualmente, como melhor opção de investimento.

Investimentos

O Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede) e do Indi, trabalha para atrair o maior número de investimentos para o estado.
“Nosso objetivo é aquecer a economia por meio de novos negócios e dar todo o suporte necessário para que as empresas contem com o governo para alavancar seus negócios em Minas Gerais”, afirma o secretário-adjunto da Sede, Fernando Passalio.