Estado cria força-tarefa para desenvolver ações no complexo “Cidade das Águas”
Publicado: 08/05/2015 15:44 | Atualizado: 18/06/2015 16:51

O Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, vai criar uma força-tarefa para avaliar a situação e desenvolver ações que possam aproveitar da melhor maneira possível a estrutura da Cidade das Águas, em Frutal, no Triângulo mineiro. O local foi construído para se tornar referência no desenvolvimento de estudos e pesquisas relacionadas com a água, porém o funcionamento está aquém do esperado.

A confirmação foi feita pelo secretário e presidente em exercício da Fundação Hidroex, Miguel Corrêa, durante audiência pública promovida pela Comissão Extraordinária das Águas da Assembleia Legislativa, na cidade de Frutal. Durante discurso, ele fez questão de ressaltar que as ações da atual gestão vão levar em conta os anseios da sociedade e que a intenção é transformar o complexo em uma “Cidade do Conhecimento”. “Não vamos abrir mão da estrutura e do diálogo com a população. Esta é a principal bandeira deste Governo, liderado pelo governador Fernando Pimentel. É possível aproveitar melhor o espaço existente e oferecer não só oportunidades para os pesquisadores em águas, mas também é preciso trazer a população para utilizar o complexo, com cursos de graduação, pós, MBA, de extensão e capacitação , que vão contribuir para a formação de milhares de pessoas”, afirmou. O secretário ressaltou que as conversas para a instalação de universidades federais e a ampliação da UEMG existente no local já foram iniciadas.

Ainda não há uma definição sobre a formação da força-tarefa, o que deverá acontecer em breve. Um dos principais desafios do grupo será retomar e concluir as obras da Cidade das Águas. Várias estruturas estão com as intervenções paralisadas desde novembro do ano passado. Algumas apresentam, inclusive, rachaduras, trincas e infiltrações antes mesmo de chegarem à etapa final. Além disso, é preciso definir a destinação dos equipamentos que foram adquiridos e estão encaixotados há meses. Estima-se que o valor necessário para a conclusão do complexo gire em torno de R$ 100 milhões. “É uma estrutura gigantesca e que precisa de ser reavaliada. Minas Gerais, o Brasil e o mundo, de maneira geral, enfrentam hoje um momento de escassez nos investimentos e de recursos. Por isso, é importante que as ações sejam planejadas e executadas com responsabilidade”, disse Miguel Corrêa. Segundo levantamento do Departamento de Obras Públicas do Estado (Deop), até hoje já foram investidos quase R$ 170 milhões no espaço.

Cidade das Águas

A Cidade das Águas fica na cidade de Frutal e funciona de maneira precária há cerca de três anos. O complexo espaço possui capacidade de abrigar cerca de 550 pesquisadores em sete prédios, além de oferecer centros de estudos avançados em águas. O local conta ainda com a segunda maior biblioteca do estado, mas que ainda não entrou em funcionamento, um complexo esportivo com piscina olímpica, campo de futebol, pista de atletismo, também em construção, uma unidade da UEMG, entre outros espaços. Apesar dos números expressivos, apenas 150 pesquisadores passaram até hoje pelo local, segundo dados do próprio complexo.