Embry-Riddle se reúne com Sectes e Sede
Representante da universidade discutiu parcerias e acordo de cooperação com envolvimento do Complexo Aeroespacial, UEMG e Unimontes
Publicado: 10/12/2015 18:09 | Atualizado: 11/12/2015 13:53

A Sectes se encontrou hoje com o representante da Embry-Riddle Aeronautical University no Brasil, Fabio Campos, para discutir possibilidades de parcerias nas áreas de ensino e aeroespacial. Também estiveram presentes na reunião o Subsecretário de Ensino Superior, Márcio Rosa, os representantes do Complexo Aeroespacial de Minas Gerais, Ricardo Carvalho e Marcus Dinelli, além de membros da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais.

A Embry-Riddle Aeronautical University (ERAU) é a maior universidade do mundo especializada em aviação e aeroespacial, sendo apelidada de “the Harvard of the sky” (a Harvard do céu). Trata-se de um importante centro de pesquisa, que busca soluções para os problemas do mundo em parceria com a indústria aeroespacial, outras universidades e agências governamentais. Assim, a sua parceria com Minas Gerais aparece como um fator extremamente favorável para o fortalecimento de nosso Complexo Aeroespacial, sendo essa uma das metas principais do termo assinado.

Campos apresentou sua instituição, em toda sua infraestrutura robusta composta por laboratórios modernos e campus de primeira linha. Também citou a criação de um parque de pesquisas, já em obras, que movimentou mais de 30 milhões de dólares. Com isso, deixou clara a possibilidade benéfica do estabelecimento de laços com o governo brasileiro para o aproveitamento de todo esse know-how. Até o momento, a Embry-Riddle atua no Brasil apenas com um escritório de negócios, mas pretende ampliar essa atuação e trazer para o país um campus próprio. Já há a previsão de uma escola técnica para 2016.

Em contrapartida, o Subsecretário demonstrou as vantagens de lidar com as universidades estaduais. Estabeleceu uma ordem de procedimentos que podem ser tomados pelo Estado, tanto para desenvolvimento de um modelo pedagógico conjunto quanto para criação de procedimentos jurídicos, visando solucionar os gargalos que a universidade estadunidense tem encontrado até o momento.

Já Dinelli falou sobre os investimentos que têm sido feitos para o fortalecimento da área aeroespacial em Minas Gerais e para o estabelecimento do Condomínio Temático Aeroespacial. “Atualmente, 80% da mão de obra formada em Engenharia Aeronáutica da EMBRAER sai de Minas Gerais”, ressaltou, demonstrando a relevância que o Estado já possui na área pedagógica aeroespacial, o que poderia ser ampliado pela criação de vínculos com a Embry-Riddle.

A universidade assinou anteriormente um memorando de intenções junto ao Governo do Estado, e agora vai analisar um acordo de cooperação específico para criar um canal direto com a UEMG e a Unimontes, ambas parceiras da Sectes. As diretrizes das parcerias devem ser estabelecidas em breve para o começo de uma atuação cooperativa de início rápido.