Bolsonaro Zema lançam a pedra fundamental do Centro Nacional de Vacinas
Governo de Minas também vai investir R$ 428 milhões na modernização da linha 1 e construção da linha 2 do metrô de Belo Horizonte
Publicado: 30/09/2021 17:13 | Atualizado: 01/10/2021 15:23
Foto: Cristiano Machado / Imprensa MG Foto: Cristiano Machado / Imprensa MG

O governador Romeu Zema participou, nesta quinta-feira (30/9), ao lado do presidente da República, Jair Bolsonaro, participa de cerimônia de lançamento da pedra fundamental do Centro Nacional de Vacinas MCTI-UFMG, que começa a ser construído, em janeiro de 2022, no Parque Tecnológico de Belo Horizonte BH-TEC. Durante o evento, na Cidade Administrativa, na capital mineira, também houve a sanção por Bolsonaro da lei que destina R$ 2,8 bilhões para melhoria, ampliação e privatização do metrô de Belo Horizonte. O Governo de Minas também irá aportar R$ 428 milhões nas obras. A previsão é a de que o leilão seja realizado no primeiro trimestre do ano que vem.

Para a do inédito Centro Nacional de Vacinas, foram investidos R$ 80 milhões no projeto, sendo R$ 30 milhões do Governo de Minas Gerais para a construção e importação de equipamentos laboratoriais, sendo R$ 12 milhões disponibilizados pela Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig) e R$ 18 milhões pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), e outros R$ 50 milhões do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

A estrutura do Parque Tecnológico é certificada dentro dos padrões internacionais para que pesquisas de manipulação e criação das vacinas sejam 100% seguras, sem risco algum de vazamento, tampouco de contaminação, respeitando protocolos internacionais e da Anvisa e com possibilidade de atender ao mercado privado que atualmente é carente de infraestrutura. (FNDCT).

“É mais um investimento resultado de diálogo e parceria. O inédito Centro Nacional de Vacinas terá a importante tarefa de realizar pesquisas para o desenvolvimento de vacinas, além da investigação de diagnósticos que irão contribuir no combate à pandemia da covid em todo o país. Esperamos que a construção do Centro se inicie em janeiro do próximo ano e que este local se torne rapidamente em uma referência mundial no estudo, pesquisa e desenvolvimento de imunizantes”, afirmou o governador Zema.

A construção do Centro Nacional de Vacinas contribui não somente para acelerar o desenvolvimento tecnológico e científico de imunizantes no Brasil, como também tira o país da condição de refém da tecnologia internacional, agilizando a fabricação, por exemplo, de vacinas para infecções virais epidêmicas e pandêmicas, como malária, leishmaniose, doença de Chagas, zika, chikungunya, dengue e covid-19, contribuindo, assim, para o desenvolvimento socioeconômico do estado de Minas Gerais e do Brasil.

Demanda histórica

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, lembrou que a ampliação do metrô de Belo Horizonte era uma antiga promessa feita para a população mineira.“Estamos falando do metrô de Belo Horizonte, da duplicação de uma linha, do restabelecimento e modernização de outra linha, um sonho de mais de 30 anos de BH. Por isso, junto com o governador Zema, junto com os ministros, fizemos um esforço para encontrarmos a solução para equacionarmos este grave problema que atacava e fragilizava a mobilidade urbana de Belo Horizonte”, afirmou o ministro.

Os R$ 428 milhões que serão investidos pelo Governo de Minas no metrô são provenientes do Termo de Reparação assinado com a Vale S.A., que visa reparar integralmente os danos decorrentes do rompimento das barragens da empresa, em Brumadinho, que vitimou fatalmente 272 pessoas e gerou uma série de impactos sociais, ambientais e econômicos na bacia do Rio Paraopeba e em todo o Estado de Minas Gerais.

“O anúncio que a região metropolitana de Belo Horizonte mais espera há décadas, este investimento no metrô, finalmente se torna uma realidade. É uma melhoria e ampliação no transporte que vai torná-lo mais rápido e de melhor qualidade. Não estamos anunciando promessa, o que estamos falando aqui hoje é de uma lei que está sendo sancionada e garante R$ 2,8 bilhões do governo federal e que serão complementados com R$ 428 milhões do Estado”, ressaltou o governador, lembrando a importância deste compromisso histórico e simbólico para Minas Gerais.