MCTI visita Sectes
Chefe de Gabinete trouxe propostas mútuas de auxílio e defendeu um envolvimento cada vez maior entre os dois órgãos
Publicado: 23/12/2015 10:02 | Atualizado: 23/12/2015 10:02

Na última sexta-feira, dia 18, o Chefe de Gabinete do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Professor Carlos Azevedo, fez uma visita especial à Sectes para discutir um aumento das relações entre os dois órgãos. Além da presença dos Subsecretários Leonardo Dias e Márcio Rosa, e do Chefe de Gabinete Marcelo Velloso, o encontro contou com representantes da FAPEMIG, Hidroex, IPEM, e setores da Sectes. Foi uma reunião preliminar para um futuro seminário em 2016 envolvendo o Ministro Celso Pansera e o Secretário Miguel Corrêa.

“O Ministério deve dispor de parcerias para chegar nas pontas”. Foi assim que o Chefe de Gabinete iniciou sua explanação sobre a importância de criar vínculos para descentralizar o desenvolvimento e explorar necessidades regionais. Para ele, é preciso repassar as ações do MCTI para Minas Gerais, e isso deve ser feito tendo a Sectes como ponto focal. Além disso, destacou o papel do CNPQ e da Finep para possibilitar esse direcionamento.

Azevedo também ressaltou a fragilidade do Brasil na luta de poderes entre os países mais influentes do mundo. A solução seria investir em produção científica para criar um espaço próprio, que diferencie e crie uma indispensabilidade à nossa terra. Para isso, as Faps, como a FAPEMIG, são essenciais.

Ficou previamente estabelecido um seminário para explorar esses e outros tópicos com a presença dos líderes dos dois órgãos, o Ministro Celso Pansera e o Secretário Miguel Corrêa. Assim, espera-se que cada lado exponha suas metas para os próximos três anos, e consiga criar os laços para ajudar-se mutuamente nessa busca. Em especial, o Professor estabeleceu como prioritária para a data uma discussão sobre os rumos que serão tomados no reuso das águas e na aposta da Ciência, Tecnologia e Inovação para criar soluções reais a este problema.