Delegação australiana busca parcerias com a Sectes
Representantes da Macquaire University participaram de encontro com instituições de ensino superior para cooperação internacional em pesquisa e cotutela
Publicado: 18/05/2016 15:17 | Atualizado: 18/05/2016 15:22

A Sectes recebeu, na última semana, a visita de uma delegação de pesquisa sênior da Macquarie University, da Austrália, para debater possíveis parcerias. A reunião teve como base o compromisso já existente em trabalhar com entidades de Minas Gerais, incluindo a Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais. (Fapemig), como a obtenção de novas ideias e projetos para serem desenvolvidos no Estado.

O subsecretário de Ensino Superior, Márcio Rosa Portes, acompanhado da assessora de Relações Nacionais e Internacionais, Aline Burni, apresentaram os potenciais que Minas Gerais possui para futuras parcerias com a universidade australiana. As instituições de ensino superior estaduais, Uemg e Unimontes também apresentaram formas de cooperação. A Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ), que já tem um acordo firmado com a Macquaire University,  também apresentou novas ações que possam contribuir com o intercâmbio de conhecimento. Os eixos de atuação para pesquisa são: artes, química, engenharia, pedagogia, educação e ciências da saúde.

De acordo com a apresentação, o Brasil é o 15º colocado em produção de conhecimento na América Latina, e o número de publicações de pesquisa conjunta com a Austrália tem crescido a cada ano, desde 2009. São mais de 160 publicações conjuntas. “Temos a oportunidade de mostrar tudo que nosso Estado tem para oferecer em troca de conhecimento. Práticas conjuntas viabilizam o desenvolvimento e crescimento da economia”, disse o subsecretário Márcio Portes.  A Sectes inicia agora uma nova etapa para atuar na internacionalização do ensino superior. O Núcleo Mineiro de Internacionalização do Ensino Superior (Numies) irá atuar na organização de intercâmbio com universidades de todo o mundo.

 

Numies

Por meio do Numies Minas Gerais poderá articular a negociação de acordos de cooperação técnica e financeira, estabelecer parcerias internacionais, aprimorar o ensino técnico, profissionalizante, tecnológico e superior, bem como estabelecer o intercâmbio de informações com organismos internacionais, governos estrangeiros e centros de pesquisa, ciência, tecnologia, inovação e empreendedorismo no exterior.