Sedectes completa 100 dias com atração de investimento de R$2,64 bi
Ainda em fase de reestruturação, o atual governo, além de atrair olhares do mercado, fortalece cadeia produtiva e dá passos largos para futuro de estatais
Publicado: 10/04/2019 10:27 | Atualizado: 24/04/2019 10:07
Gil Leonardi/Imprensa MG Gil Leonardi/Imprensa MG

Os desafios ainda são inúmeros, mas a confiança em um governo comprometido, liberal e que respeita a iniciativa privada já registra atração de investimento de R$2,64 bilhões, segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes), Vitor de Mendonça. O governo Zema, que assumiu o desafio de tirar Minas Gerais da crise financeira, conseguiu fazer o estado ser atrativo aos olhos dos investidores.

Com o montante, vem a expectativa de gerar 1.344 empregos diretos e indiretos em empresas dos ramos cervejeiro, embalagens e metalurgia. O faturamento previsto destas empresas para 2022 acumula mais de R$ 3 bi. No mês de março, o governo comemorou a inauguração de uma fábrica de cápsulas em Pouso Alegre, que afirma investimento de R$ 350 milhões e 500 empregos.

De acordo com Mendonça, nestes 100 dias, a montagem de equipe com as competências necessárias já está praticamente concluída e o planejamento estratégico com as diretrizes a serem adotadas pela Sedectes, pronto. Agora, “os principais desafios da atual gestão é a aprovação do Plano de Recuperação Fiscal e o processo de desestatização da Cemig e Copasa”, garante.

Um novo ciclo de gestão

Paralelamente, uma força-tarefa foi montada para realizar o Diagnóstico de Ações Críticas da Secretaria. Após análise dos projetos realizados em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapemig), foram necessários: adequação dos projetos, buscando maior integração com os potenciais de desenvolvimento de Minas comprometidos com geração de resultados; redução drástica do número de bolsistas e adequação das bolsas concedidas. Para a regularização das bolsas restantes, ainda no mês de abril, serão realizados processos seletivos para os projetos desenvolvidos pela pasta. Estima-se a recuperação/redistribuição de recursos na ordem de aproximadamente R$ 15 milhões.

 

Composição da equipe gestora

Seguindo as diretrizes do governador Romeu Zema, o número de diretores e conselheiros dos órgãos vinculados à Sedectes também teve diminuição. Dos 49 diretores existentes, apenas 29 compõem a nova gestão, totalizando redução de 41%. O mesmo aconteceu com os conselheiros, que de 51 passaram para 20, o que equivale corte de 61%. A reestruturação contribui com a redução de gastos com pessoal e otimização do trabalho.

De acordo com o secretário, para garantir a execução das atividades, um cauteloso processo seletivo foi realizado. Todos membros da equipe gestora passaram por criteriosa análise de currículo e entrevista.

Nos 100 primeiros dias, 90% da equipe da administração direta da Sedectes já foi selecionada.

 

Avaliação de ativos

Muito se falou nos últimos dias sobre privatizações. Os questionamentos foram inúmeros, mas qual o real cenário? Segundo Mendonça, nenhuma decisão deste governo é tomada sem embasamento técnico. Um levantamento foi solicitado pela Sedectes para avaliação dos ativos da Cemig e Copasa. De acordo com estudos já realizados, ambas instituições têm potencial de crescimento e, no caso da Cemig, por exemplo, maximizar o valor da Companhia envolve a reestruturação de seus negócios enquanto se define o modelo para a desestatização.

 

Fortalecimento de cadeias produtivas

A equipe da Sedectes assinou memorando de entendimento com uma empresa coreana para instalação de parque solar de 600MW e uso de iluminação eficiente em Minas Gerais. A viabilização tem valor de investimento previsto em US$ 2 bilhões na região norte do estado. Também, nos 100 dias, destaca-se a retomada da Plataforma Mineira de Biocombustíveis e Renováveis a partir do reestabelecimento de relações com parceiros e discussão do estudo de viabilidade econômica da cadeia.

 

Ciência, Tecnologia e Inovação

Dentre os programas que passam por reformulação, o Hub Minas e Startup and Entrepreneurship Ecosystem Development (Seed) merecem destaque em suas ações. Apenas nos três primeiros meses, o Hub celebrou parceria com 13 Centros de Inovação internacionais para indicação de startups a empresas mineiras; com seis Núcleos de Inovação Tecnológica (NIT's) de universidades norte americanas e alemãs, líderes mundiais em pesquisa, para indicação de tecnologias às empresas mineiras; e com quatro novas empresas. Dentre as parcerias com o Estado, o Hub negociou, junto ao Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM), a realização de projeto de inovação aberta voltado para a otimização do processo de análise da água na região de Brumadinho. 

Por sua vez, o Seed realizou o Demoday, evento de 38 startups participantes da 5ª rodada do programa. A decisão de continuar com o programa veio por base nos resultados. O Seed é um dos maiores agentes de fomento do ecossistema de empreendedorismo e inovação brasileiro. Lançado em 2013, o programa atingiu a marca de 6.481 inscrições, e contou com a participação de 192 startups, sendo 155 brasileiras e 37 estrangeiras, de 26 nacionalidades, total de 490 empreendedores. Em março, foi realizado do Seed Academy Pocket – treinamento de curta duração para formação de agentes de aceleração da Sedectes e de empresas parceiras.

 

O artesanato mineiro

A Superintendência de Artesanato realizou a 3ª Semana do Artesão Mineiro e promoveu a entrega da Carteira Nacional do Artesão. Além disso, atendeu a cinco comunidades na Mostra Cerâmica do Jequitinhonha; participou da 24ª Feira Internacional de Artesanato em Natal, no Rio Grande do Norte, movimentando cerca de R$ 70 mil; além de mais de 360 artesãos atendidos em todo o estado.