Plataforma de Bioquerosene é tema de audiência pública
Especialistas debateram a importância da produção de combustível por meio da Macaúba, projeto desenvolvido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico
Publicado: 23/08/2019 16:57 | Atualizado: 26/08/2019 12:20
Ricardo Barbosa / ALMG Ricardo Barbosa / ALMG

A Plataforma de Bioquerosene e Renováveis, projeto da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Sede), foi tema de audiência pública na manhã dessa quinta-feira (23/08), na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Especialistas se reuniram para debater a importância da produção de combustível a partir da extração de óleo vegetal da Macaúba. O objetivo é criar um marco regulatório na produção de bioquerosene.

A macaúba, abundante na Zona da Mata e cultivada há anos na região, é uma planta com características de alta produtividade. “Também é favorável ao meio ambiente para a recuperação de áreas degradadas, bacias de rios e nascentes, sendo uma nova alternativa para os pequenos e grandes produtores”, explica o diretor de Gestão da Central Exportaminas, Carlos Malta.

Além da bioquerosene, a cadeia produtiva poderá atender a demanda por diesel verde, oleoquímico, alimentação animal e humana, fármacos e cosméticos, carvão ativado, siderurgia e correlatos, além de envolver também tecnologias para tratamento de resíduos para geração de energia.

Para o subsecretário de Promoção de Investimentos e Cadeias Produtivas, Juliano Alves, a intenção do Estado é alavancar a plataforma com intuito de desenvolver toda a cadeia produtiva de biomassa e tecnologia de produção de Bioquerosene. “Este debate envolvendo governo, academia e indústria fortalece este trabalho que envolve toda a cadeia produtiva”, garante. O feito também atende a uma demanda do setor aeroespacial que é ter um novo combustível alternativo em substituição gradativa do combustível fóssil para reduzir as emissões de CO² na atmosfera.