Aerotrópole Mineira

O Projeto Aerotrópole Mineira integra o rol de projetos estratégicos do Governo de Minas Gerais e tem como principal objetivo estabelecer uma visão inteligente de ocupação do solo com governança ambiental, infraestrutura customizada, fundada na premissa de que o crescimento econômico no Século XXI é impulsionado pela mobilidade de negócios de base tecnológica. A aerotrópole, definida como uma região econômica urbana centrada no aeroporto, é a manifestação física dessa premissa e constitui a base da política de diversificação econômica e para a agregação de valor da economia mineira.

Configurando-se como a principal Política de Desenvolvimento Econômico para a inserção do Estado nos desafios econômicos do Século XXI, o projeto possui atividades na Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais (INDI) e Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte (ARMBH).

O principal objetivo do Projeto Aerotrópole então é estabelecer uma lógica de planejamento institucional, físico e territorial tendo como epicentro o Aeroporto Internacional Tancredo Neves para possibilitar a inserção competitiva do Estado de Minas Gerais no cenário econômico mundial.

Outros objetivos específicos do Projeto Aerotrópole são:

- Efetivar o planejamento econômico para a RMBH conforme as diretrizes dos planos Macroestrutural e Master Plan Econômico da Região Metropolitana de Belo Horizonte;

- Atrair empresas relacionadas à economia 4.0 para a área de influência do Aeroporto Internacional, inclusive mas não apenas na área do Aeroporto Indústria;

- Aumentar o número de vôos nacionais e internacionais do AITN, como estratégia de aproximação de Minas Gerais com os outros centros econômicos do Brasil e do Mundo;

- Criar empregos de alta qualificação para melhoria do nível de renda;

- Promover a ocupação vocacionada e ordenada da área de influência do aeroporto internacional;

- Compatibilizar o planejamento econômico com o Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado da RMBH, instrumento de política urbana-metropolitana.

- Implementar o Centro de Treinamento e Capacitação Aeroespacial a partir de interlocução com a iniciativa privada.

A busca pela interlocução com a iniciativa privada se fundamenta na lógica de que as empresas estão se aglomerando ao redor de aeroportos maiores por causa da acessibilidade, velocidade e agilidade que os aeroportos proporcionam para prover às cadeias produtivas da nova economia, além da conectividade entre consumidores, parceiros empresariais e turistas (nacional e mundialmente). Esses hubs aeroportuários servem ainda milhões de passageiros e visitantes anualmente, tornando-se estruturas multimodais que geram desenvolvimento comercial dentro e fora de seu núcleo.

A Aerotrópole é então uma nova referência de centralidade para a promoção de investimentos nos setores relacionados à novíssima economia, diversificando a atuação econômica do estado, que atualmente possui uma matriz predominantemente alicerçada em commodities, para possibilitar a emergência da “polis” globalizada que ascende a partir de um Aeroporto Internacional bem estruturado que se estabelece como o motor da nova dinâmica econômica.