moda

O Governo de Minas Gerais, através da Secretaria de Estado Extraordinária de Desenvolvimento Integrado e Fóruns Regionais (Seedif), se reuniu nessa terça-feira (22) com representantes da Frente da Moda Mineira, em Belo Horizonte para apresentar o Circuito Mineiro de Compras Sociais (CMCS).

O programa, vinculado ao Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Fopemimpe), foi apresentado pelo seu Secretário-Geral, Fernando Passalio. Segundo ele, a “ideia é implementar o modelo diante da realidade da Cadeia Produtiva da Moda”.

A Frente da Moda Mineira é um movimento criado para desenvolver ações visando defender, integrar e fomentar a cadeia produtiva. Estão envolvidas entidades e profissionais do segmento com o objetivo de promover a chancela de Belo Horizonte como Capital da Moda. No Estado, o intuito é valorizar as marcas mineiras como centro criador e produtor de moda.

Para uma das articuladoras da Frente e consultora de marketing de moda, Natalie Oliffson, o CMCS pode contribuir com o desenvolvimento de ações para alavancar o setor. Em Minas Gerais, o mercado da moda é composto de micro e pequenas empresas que, a partir do apoio do CMCS, vai estreitar a relação entre o produtor e a rede varejista.

“O CMCS nos abre possiblidades de atuação. Uma delas é construir um programa de capacitação e de apoio para levar o produto mineiro para as grandes redes de varejo. Com isso, vamos valorizar o produto feito em Minas e estabelecer no Estado todas as etapas da fabricação, desde a criação, o design e a produção. Essa ação vai gerar emprego e desenvolvimento econômico”, analisa, Natalie.

O Circuito Mineiro de Compras Sociais já é um dos principais programas de incentivo aos pequenos negócios mineiros. Ele oferece para os diversos pequenos empreendimentos oportunidade de se capacitar, além de participar das mais conceituadas feiras, exposições e rodadas negócios de Minas Gerais.